sábado, 4 de dezembro de 2010

Aprendi no jardim de Infância (2)

Tudo o que hoje preciso realmente saber, sobre como viver, o que fazer e como ser, eu aprendi no Jardim de Infância. A sabedoria não se encontrava no topo de um curso de pós-graduação, mas no montinho de areia da escola de todo dia. Estas são as coisas que aprendi lá:
1. Compartilhe tudo.
2. Jogue dentro das regras.
3. Não bata nos outros.
4. Coloque as coisas de volta onde pegou.
5. Arrume sua bagunça.
6. Não pegue as coisas dos outros.
7. Peça desculpas quando machucar alguém.
8. Lave as mãos antes de comer e agradeça a Deus antes de deitar.
9. Dê descarga.
10. Biscoitos quentinhos e leite fazem bem para você.
11. Respeite o outro.
12. Leve uma vida equilibrada: aprenda um pouco, pense um pouco, desenhe, pinte, cante,dance, brinque, trabalhe um pouco todos os dias.
13. Tire uma soneca à tarde.
14. Quando sair, cuidado com os carros.
15. Dê a mão e fique junto.
16. Repare nas maravilhas da vida.
17. O peixinho ourado, o hamster, o camundongo branco e até mesmo a sementinha no copinho plástico, todos morrem... Nós também!
(PEDRO BIAL)

Como criar um delinquente.

Será que estamos atentos? 
Pontos importantes que devem ser observados de perto para que seu filho e aluno tenham uma educação saudável.
E por favor, não siga esta lista

Menu Básico:

1. Comece na infância a dar ao seu filho tudo o que ele quiser, assim, quando crescer, ele acreditará que o mundo tem obrigação de lhe dar tudo.
2. Quando ele disser palavrões, ache graça. Isso o fará considerar-se interessante.
3. Nunca lhe dê qualquer orientação religiosa. Espere até que ele chegue aos 21 anos e "decida por si mesmo”.
4. Apanhe tudo o que ele deixar jogado: livros, sapatos... Faça tudo para ele, para que aprenda a jogar sobre os outros a responsabilidade.
5. Discuta com freqüência na presença dele, assim não ficará muito chocado quando o lar se desfizer mais tarde.
6. Dê-lhe todo o dinheiro que ele quiser.
7. Satisfaça todos os seus desejos de comida, bebidas e conforto. Negar pode acarretar frustrações prejudiciais.
8. Tome o partido dele contra vizinhos, professores, policiais. (Todos tem má vontade para com seu filho).
9.Quando ele se meter em alguma encrenca séria, dê esta desculpa:"Nunca consegui dominá-lo!".
10. Prepare-se para uma vida de desgosto.  É sem dúvida seu mais que merecido destino!


Fonte: Departamento de Polícia do Texas - EUA
(Revisado por Alberto Filho/Anne Lucille - fevereiro 2008)


quinta-feira, 2 de dezembro de 2010

A Importância da música na Educação Infantil

Por seu poder criador e liberador, a música torna-se um poderoso recurso educativo a ser utilizado na Pré-Escola. É preciso que a criança seja habituada a expressar-se musicalmente desde os primeiros anos de sua vida, para que a música venha a se constituir numa faculdade permanente de seu ser.
A música representa uma importante fonte de estímulos, equilíbrio e felicidade para a criança. Assim, na Educação Infantil os fatos musicais devem induzir ações, comportamentos motores e gestuais ( ritmos marcados caminhando, batidos com as mãos, e até mesmo falados), inseparáveis da educação perceptiva propriamente dita.
Até o primeiro ano de vida, as janelas escancaradas são as dos sentidos. “ A criança está aberta para receber” , diz Muszkat. Contar histórias, pôr música na vitrola, agarrar e beijar, brincar com a fala são estímulos que ajudam o aperfeiçoamento das ligações neurais das regiões sensoriais do cérebro.
Gardner admite que a inteligência musical está relacionada à capacidade de organizar sons de maneira criativa e à discriminação dos elementos constituintes da Música. A teoria afirma que pessoas dotadas dessa inteligência não precisam de aprendizado formal para colocá-la em prática. Isso é real, pois não está sendo questionado o resultado da aplicação da inteligência, mas sim a potencialidade para se trabalhar com a música.
Musicalidade é a tendência ou inclinação do indivíduo para a música. Quanto maior a musicalidade, mais rápido será seu desenvolvimento. Costuma revelar-se na infância e independe de formação acadêmica.
Musicalização é um processo cognitivo e sensorial que envolve o contato com o mundo sonoro e a percepção rítmica, melódica e harmônica. Ela pode ocorrer intuitivamente ou por intermédio da orientação de um profissional.
Se todos nascem potencialmente inteligentes, a musicalidade e a musicalização intuitiva são inerentes a todo ser humano. No entanto, apenas uma porcentagem da população as desenvolvem. Grandes nomes considerados gênios da música iniciaram seus estudos na infância, Mozart, Beethoven, Bach , Carlos Gomes e Villa Lobos, entre outros iniciaram seus estudos tendo como mestres os seus respectivos pais.
Embora o incentivo ambiental familiar e a iniciação na infância sejam positivos, não são essenciais na formação musical. Outros fatores podem ser estímulos favoráveis ao desenvolvimento da inteligência musical: a escola, os amigos, os meios de comunicação...
Talento e conhecimento caminham sempre juntos e um depende do outro. Quanto maior o talento mais fácil se torna o conhecimento. Quanto maior o conhecimento, mais se desenvolve o talento.
Músicos não nascem prontos. Nascem com talento e adquirem formação para se tornarem os músicos que desejam ser.


Fonte: http://educadora.vilabol.uol.com.br/GlauciaCampos3.htm

domingo, 28 de novembro de 2010

quarta-feira, 24 de novembro de 2010

Sequência para trabalhar com tirinhas e gibis.

Pré II
Área de conhecimento: Linguagem Oral e Escrita
Tema: O mundo encantado das histórias em Quadrinhos.
Tempo previsto: 2 meses

Conteúdos:
• Manuseio de diferentes tirinhas;
• Leitura de diversas revistas em quadrinhos;
• Escrita/cópia de nome de alguns personagens que aparecem em histórias lidas;
• Roda de conversa envolvendo relatos de fatos acontecidos em algumas histórias lidas e também vivenciados pelas crianças;
• Escrita de histórias baseadas nas tirinhas manuseadas;
• Ler algumas histórias e pedir que recontem oralmente e depois tentem escrever.
• Dramatização de algumas histórias lidas.

Habilidades:
• Familiarizar-se com a escrita por meio do manuseio de tiras em quadrinho;
• Interessar-se pela leitura de gibis;
• Interessar-se por escrever palavras e frases, ainda que de maneira não convencional;
• Relatar suas vivencias argumentando suas idéias e ponto de vista;
• Participar de diferentes atividades que envolvam leitura e escrita;
• Produzir textos, com a ajuda do professor;
• Escutar, recontar e dramatizar fatos ampliando sua capacidade comunicativa.

Atividades:

1. Atividade desencadeadora
OD. A professora irá levar para sala diferentes gibis para que as crianças possam manuseá-los à vontade. Deixar que percebam a diferença entre gibi e livro. Levantar questionamentos. Especificar todas as características de uma história em quadrinhos: formato, tipo de texto e diferença dos balões.

2. Apresentar (no gibi) o que é uma tira em quadrinho
OD. Separar alguns gibis e mostrar para as crianças como são as tiras, em seguida ler algumas para o grupo.
Depois mostrar uma sequência de três quadrinhos, formando uma tirinha para junto com a turma produzir uma pequena história. Ir escrevendo na lousa de acordo como eles forem falando, depois fazer as devidas intervenções para que percebam como se forma a escrita de um texto.

3. Leitura de uma tira.
OD. Distribuir a cópia de uma mesma tira para as crianças e em roda a professora deverá ler com o acompanhamento dos alunos. (ou deixar um aluno que já estiver lendo fazer a leitura).
O professor deverá propor para algumas crianças lerem as tiras para os amigos. Após leitura, deverão colorir.

4. Dar um título para a tira
OD. O professor entregará uma folha para cada aluno com o xérox de uma tira, onde após leitura em grupo, deverão escolher um título e escrever de acordo com suas hipóteses. (previamente deverão ser formados grupos de crianças para troca de informações).

5. Escrevendo nome dos personagens
OD. A professora irá ler uma história da Mônica. Depois irá escrever com a ajuda da turma o nome dos personagens no blocão. Feito isso, entregar para os alunos uma folha com os desenhos dos personagens para que escrevam de acordo com suas hipóteses (não deixar que vejam no blocão).

6. Escrevendo uma história
OD. Usando uma tirinha formada por três cenas, a professora irá apresentar a cada dia uma parte da história para que as crianças possam ir construindo aos poucos. Explorar bem cada cena antes de iniciar o processo de construção da história. Após o encerramento (no 3º dia) as crianças receberão no caderno o desenho da história completo e farão a escrita/cópia da mesma.

7. Contorne o nome dos personagens
OD. Distribuir uma folha com várias palavras, inclusive o nome de alguns personagens já trabalhados e pedir que as crianças encontrem-os. As crianças que já sabem ler ou estão silábicas deverão fazer a atividade sem apoio, as demais deverão receber uma tarja contendo a imagem do personagem e seu nome.

8. Lendo e reescrevendo uma história
OD. Contar para as crianças mostrando as tirinhas a história “O acidente”, depois entregar uma tirinha que trás uma história parecida para que elas recontem, mas de forma diferente.

9. Forme outros nomes com as letras do nome da Mônica
OD. Distribuir uma folha para cada criança com o nome da Mônica (escrito na vertical), onde deverão escrever os nomes das crianças da sala que comecem com a mesma letra.
Caso não tenha nenhuma criança com a letra pedida, pedir que pensem em outra ou sugerir algumas.

10. Criando um final para a história
OD. Apresentar uma tirinha pra turma e ir escrevendo na lousa a história deixando-os fazer intervenções quando quiserem, sendo que o final da história deverá ser produzido pela turma.

11. Coloque a tira em ordem
OD. Distribuir 3 quadrinhos e pedir que organizem a tira corretamente. Depois produzir uma história com o grupo de acordo com as tirinhas. Organizar no blocão e pedir que copiem.
Depois dividir a turma em três grupos e pedir que dramatizem a história produzida.

12. Leitura de gibis
OD. Deixá-los escolher e manusear os gibis da sala. Após um tempo pedir que cada criança escolha e leia uma história para a turma.

13. Leitura de tira
OD. Distribuir uma folha faltando a escrita do último quadrinho. Ler com eles e pedir para o grupo inventar um final.
Em seguida o professor escreverá na lousa, que servirá de apoio para quem precisar.

14. Produção de texto individual
OD. Entregar uma tirinha de três cenas para que cada criança possa produzir seu texto individual. Depois cada uma irá “ler” o que produziu para a turma.

quarta-feira, 13 de outubro de 2010

Jardim de Infancia!!!

Tudo que eu realmente preciso saber sobre a vida... Como ser.... Aprendi no jardim da infância.

Não foi na universidade nem na pós-graduação que eu encontrei a verdadeira sabedoria, e sim no recreio do jardim da infância.
Compartilhar, brincar dentro das regras, não bater nos outros, colocar as coisas de volta no lugar, limpar a própria sujeira, não pegar o que não é meu, pedir desculpas quando machucava alguém, lavar as mãos antes de comer, puxar a descarga do banheiro.

Também descobri que café com leite é gostoso, que uma vida equilibrada é saudável e que pensar um pouco, aprender um pouco, desenhar, pintar, dançar, planejar e trabalhar todos os dias, nos faz muito bem.
Tirar uma soneca à tarde, tomar muito cuidado com o trânsito, segurar as mãos de alguém e ficar juntos, são boas formas de enfrentar o mundo.

Prestar atenção em todas as maravilhas e lembrar da pequena semente que, um dia, plantamos em um copo de plástico. As raízes iam para baixo e as folhas iam para cima, mas ninguém realmente sabia nem porquê. Mas nós somos assim!

Peixinhos dourados, ratinhos brancos; e até mesmo a pequena semente do copo de plástico, tudo morre um dia. E nós também.

Tudo que você realmente precisa saber esta aí. Faça aos outros aquilo que você gostaria que fizessem para você...
Amor, higiene básica, ecologia e política contribuem para uma vida saudável.

Penso que tudo seria melhor se todos nós - o mundo inteiro - tomássemos café com leite todas as tardes e descansássemos um pouquinho abraçados a um travesseiro.
E ainda é verdade que, seja qual for a idade, - o melhor é darmos as mãos e ficarmos juntos!
Robert fulghum

Frases para meditação:

"O professor medíocre conta. O bom professor explica. O professor superior demonstra. O grande professor inspira."
Autor: (William Arthur Ward)

"Um professor afeta a eternidade; é impossível dizer até onde vai sua influência."
Autor: (Henry Adams)

"Coisa horrível é pensar ser professor quem nunca foi discípulo."
Autor: (Fernando de Rojas)

"Um professor que tenta ensinar, sem inspirar o aluno com o desejo de aprender, está martelando em ferro frio."
Autor: (Horace Mann)

"Há três tipos de professores: os que só ensinam o que sabem; os que não ensinam o que sabem; os que pensam que sabem e ensinam errado o que não sabem."
Autor: (Rio Nogueira)

"O verdadeiro professor defende os alunos contra sua própria influência de mestre."
Autor: (Louisa May Alcott)

"O professor é aquele que faz duas idéias crescerem onde antes só crescia uma."
Autor: (Elbert Green Hubbard)

"Um professor é aquele que se faz progressivamente desnecessário."
Autor: (Thomas Carruthers)

"Um professor não educa indivíduos. Ele educa uma espécie."
Autor: (George Lichtenberg)

"Se eu não fosse imperador, desejaria ser professor. Não conheço missão maior e mais nobre que a de dirigir as inteligências jovens e preparar os homens do futuro."
Autor: (D. Pedro II)

"Nem todo bom aluno é bom professor."
Autor: (Santos Dumont)

"A tarefa essencial do professor é despertar a alegria de trabalhar e de conhecer."
Autor: (Albert Eisntein)

"O professor pensa ensinar o que sabe, o que recolheu nos livros e da vida, mas o aluno aprende do professor não necessariamente o que o outro quer ensinar, mas aquilo que quer aprender."
Autor: (Affonso Romano de Sant Anna)

"Grande professor será aquele que realiza o que ensina."
Autor: (Columbano)

"Os alunos comem o que os professores digerem."
Autor: (Karl Kraus)


"O professor não ensina, mas arranja modos de a própria criança descobrir. Cria situações-problemas."
Autor: (Jean Piaget)

"A primeira fase do saber, é amar os nossos professores."
Autor: (Erasmo de Rotterdam)


"O paraninfo é o professor a quem incumbe a última lição e o amigo a quem cabe o primeiro conselho."
Autor: (Oswaldo de Castro Aranha)

segunda-feira, 11 de outubro de 2010

Ciranda do Livro

Pensando na importância da leitura fiz esse "Caderno de Registros" que será levado nas segundas, quartas e sextas pelos alunos junto com dois livros de literatura. Eles irão ler os livros com os familiares e depois farão o registro no nosso caderno.


CIRANDA DO LIVRO


CADERNO DE REGISTROS


PRÉ 2 – PROF. KEYLA


A leitura é algo crucial para a aprendizagem do ser humano, pois é através dela que podemos enriquecer nosso vocabulário, obter conhecimento, dinamizar o raciocínio e a interpretação. Muitas pessoas dizem não ter paciência para ler um livro, no entanto isso acontece por falta de hábito, pois se a leitura fosse um hábito rotineiro as pessoas saberiam apreciar uma boa obra literária, por exemplo.

Muitas coisas que aprendemos na escola são esquecidas com o tempo, pois não as praticamos. Através da leitura rotineira tais conhecimentos se fixariam de forma a não serem esquecidos posteriormente. Dúvidas que temos ao escrever poderiam ser sanadas pelo hábito de ler, talvez nem as tivéssemos, pois a leitura torna nosso conhecimento mais amplo e diversificado.

Durante a leitura descobrimos um mundo novo, cheio de coisas desconhecidas.
O hábito de ler deve ser estimulado na infância, para que o indivíduo aprenda desde pequeno que ler é algo importante e prazeroso, assim com certeza ele será um adulto culto, dinâmico e perspicaz.

Os alunos irão levar pra casa essa pasta com dois livros de literatura para ler com a família, a pasta deverá retornar a escola no dia combinado. Os livros deverão ser lidos em família.

Regras para utilização da pasta da Ciranda do Livro:
 Cuidar para não estragar a pasta, os livros e o caderno de registros;
 Ler em família;
 Preencher o caderno de registros socializando com a família;
 Ler para seu filho e deixar que ele “leia” para você;
 Pedir que ele relate a parte que mais gostou e/ou a que não gostou;
 Conversar sobre a história que leram;
 Fazer perguntas sobre os livros;
 Fazer desse momento um instante agradável onde à família poderá estar reunida;

“O fato de a criança ainda não saber ler convencionalmente não significa que não possa presenciar das mais variadas situações de leitura. Nesta situação, o adulto é um mediador entre a criança e o livro, ou seja, é ele quem lê para ela, de preferência com entonação e emoção. Neste momento, o que interessa é o prazer pela leitura e o afeto que envolve o momento”.



Aluno: _________________________________________________________

Livros: 1) Título: _____________________________________________
Autor: ______________________________________________

2) Título: _____________________________________________
Autor: ______________________________________________

Relate, em poucas palavras, como foram os momentos de leitura que tiveram em família:
____________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________

Qual o livro que mais agradou a família? Por quê?
____________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________

Deixem uma mensagem para a turma:
____________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________


Registro com desenho da parte da história que mais agradou: (Essa parte deverá ser feita pela criança).

Para as crianças .......... e para os professores também.......

"Eu queria uma escola que cultivasse
a curiosidade de aprender
que é em vocês natural.

Eu queria uma escola que educasse
seu corpo e seus movimentos:
que possibilitasse seu crescimento
físico e sadio. Normal

Eu queria uma escola que lhes
ensinasse tudo sobre a natureza,
o ar, a matéria, as plantas, os animais,
seu próprio corpo. Deus.

Mas que ensinasse primeiro pela
observação, pela descoberta,
pela experimentação.

E que dessas coisas lhes ensinasse
não só o conhecer, como também
a aceitar, a amar e preservar.

Eu queria uma escola que lhes
ensinasse tudo sobre a nossa história
e a nossa terra de uma maneira
viva e atraente.

Eu queria uma escola que lhes
ensinasse a usarem bem a nossa língua,
a pensarem e a se expressarem
com clareza.

Eu queria uma escola que lhes
ensinassem a pensar, a raciocinar,
a procurar soluções.

Eu queria uma escola que desde cedo
usasse materiais concretos para que vocês pudessem ir formando corretamente os conceitos matemáticos, os conceitos de números, as operações... pedrinhas... só porcariinhas!... fazendo vocês aprenderem brincando...

Oh! meu Deus!

Deus que livre vocês de uma escola
em que tenham que copiar pontos.

Deus que livre vocês de decorar
sem entender, nomes, datas, fatos...

Deus que livre vocês de aceitarem
conhecimentos "prontos",
mediocremente embalados
nos livros didáticos descartáveis.

Deus que livre vocês de ficarem
passivos, ouvindo e repetindo,
repetindo, repetindo...

Eu também queria uma escola
que ensinasse a conviver, a
coooperar,
a respeitar, a esperar, a saber viver
em comunidade, em união.

Que vocês aprendessem
a transformar e criar.

Que lhes desse múltiplos meios de
vocês expressarem cada
sentimento,
cada drama, cada emoção.

Ah! E antes que eu me esqueça:

Deus que livre vocês
de um professor incompente."
Carlos Drummond de Andrade

domingo, 10 de outubro de 2010

Passeio ao Parque da Cidade.

Aula de Campo no "Aterro Sanitário de Jacareí"

Trabalhando o Trânsito


Percebendo uma grande necessidade de conscientizar a população sobre a importância de se ter um bom comportamento no Trânsito elaboramos um Projeto para trabalharmos com nossas crianças, uma vez que elas compartilham com seus familiares todo conteúdo estudado na escola. Desenvolvemos rodas de conversa sobre como se comportar no trânsito como pedestre ou motorista, falamos algumas regras,a importância do uso do cinto de segurança, o significado de algumas placas, o uso adequado das cadeiras para todas as idades, etc. Sabemos que foi apenas uma sementinha que plantamos, mas que sem dúvida irá florescer.

Projeto Trânsito Cidadão

Justificativa: Percebemos a enorme necessidade de tratar de assuntos relacionados ao trânsito com nossas crianças, uma vez que muitos acidentes podem ser evitados com um constante trabalho de prevenção, relacionando-se com atividades cotidianas que envolvam situações de trânsito.

Objetivos:
 Identificar pedestre, motorista e demais componentes do trânsito;
 Reconhecer algumas placas de trânsito e seu significado;
 Participar de brincadeiras que envolvam situações de trânsito;
 Identificar diferentes meios de transportes;
 Aprender a fazer o uso correto da faixa de pedestres e do semáforo;
 Utilizar os meios necessários para sua própria segurança e dos outros no trânsito.
 Perceber que simples atitudes podem salvar muitas vidas.
 Utilizar os aprendizados para conscientizar os familiares e amigos;

Atividades:
 Levar para sala imagens de diversos componentes do trânsito para apreciação da turma. Nomeá-los para que percebam que o transito é formado por diversas pessoas e coisas.
 Deixá-los manusear diferentes placas de trânsito para que possam levantar hipóteses de seus significados. Depois que tiverem explorado bastante falar o significado de cada uma e propor uma brincadeira de trânsito para pôr em prática o que aprendemos.
 Recortar de revistar diferentes tipos de meios de transportes e fazer um mural coletivo.
 Montar com as crianças uma faixa de pedestres e um semáforo para explicar a função de cada um e sua importância para nossa segurança.
 Explicar e mostrar a importância do uso do cinto de segurança e da cadeirinha para proteção de possíveis acidentes. Levar folhetos informativos para que possam levar para casa e entregar a família.
 Passar o vídeo infantil “De olho no Trânsito” para que possam perceber que pequenas atitudes podem ser muito importantes em nosso dia para estarmos seguros.
 Montar um mural coletivo com o que aprendemos e as atitudes corretas que devemos ter no trânsito.
 Jogos de trilha, jogo da memória e outros que trabalhem os conceitos de trânsito.

Semana da Criança


Semana incrível de diversão para as crianças, e para nós professores também. Tivemos pipoca, picolé, bolo, pizza, docinho, fomos ao cinema e ao Buffet "Era uma Vez".

domingo, 19 de setembro de 2010

Matéria publicada no Jornal A Gazeta.

Gostar do professor faz aluno aprender com mais facilidade

O estudante que não se dá bem com o educador pode perder o interesse pela matéria que ele ensina

A Gazeta

Priscilla Thompson
ppessini@redegazeta.com.br

A boa relação que o seu filho mantém com o professor pode determinar a preferência dele por uma ou outra matéria e até mesmo melhorar o aprendizado. Essa é a conclusão da dissertação de mestrado da psicanalista e diretora da escola da Ilha-Florescer, em Vitória, Cecília Oliveira. E ela explica: "Se o aluno não se dá bem com o professor, pode apresentar dificuldade em assimilar os conteúdos e chegar a perder o interesse por um assunto".

Cecília trabalha há 25 anos com educação e, para elaborar o estudo, conversou com diversos professores e estudantes. Segundo ela, o bom relacionamento não tem necessariamente a ver com amizade. "O professor ocupa um lugar de referência para o aluno tanto quanto os pais ocupam para o filho. Muitos, porém, não percebem isso e acabam perdendo a oportunidade de tirar o melhor proveito dentro da escola", diz.

Na sala de aula, não apenas o aluno deve estar interessado em aprender, como também o professor em ensinar. E ensinar com respeito. Afinal, casos em que essa relação é conflituosa pode gerar até mesmo agressividade. "Essa agressão quase nunca é pessoal, como o professor pode pensar em um primeiro momento, mas tem a ver com essa dificuldade de estabelecimento de papéis", explica.

Quando, por outro lado, o aluno se identifica com quem está ensinando, consegue tirar da matéria muito mais do que o esperado, confirma a psicopedagoga Penha Peterli. "O gosto do aluno por uma disciplina pode ter a ver com as habilidades próprias dele, mas também com o vínculo estabelecido com o professor. A criança passa a respeitar e valorizar não só o profissional como também o assunto da sua matéria", diz.

Cabe aos pais e à escola, em conjunto, perceber quando a dificuldade de aprendizado está relacionada ao trabalho do professor, e tentar melhorá-la, diz Penha. "A criança, em geral, expressa quando não gosta do educador, dizendo que ele é chato, por exemplo. Isso não quer dizer que, de fato, ele seja. Mas é uma dica que deve ser olhada com mais cuidado", orienta.

O que fazer quando algo não vai bem

Converse.
Se o seu filho não gosta de uma matéria específica, converse com o orientador pedagógico e com o professor da disciplina

Investigue.
Tente perceber se a dificuldade é em decorrência da relação com o professor ou se tem a ver com alguma capacidade mais específica do aluno para alguma outra matéria

Preferências.
Em geral, os alunos não gostam de matérias que não dominam bem. Portanto, é preciso verificar se a falta de prazer tem a ver com uma deficiência de aprendizado

Aula particular.
Em alguns casos, um professor particular pode ajudar a sanar as dificuldade encontradas, principalmente quando o problema é decorrente de um atraso pedagógico

Cotidiano.
Ajude o seu filho a aproximar os conteúdos das matérias ensinadas com o
cotidiano. Quando a
criança percebe a aplicação prática de um conteúdo, desperta mais o interesse e aprende com mais facilidade

Identificação fez estudante gostar de números

Até o ano passado, quem perguntasse a Ana Carolina de Oliveira Ferreira, aluna do 9º ano, se ela gostava de Matemática ia ouvir um convicto "não" como resposta. Hoje, depois de quase um ano com um novo professor, a opinião dela já é outra. "Eu ainda prefiro História, mas também aprendi a gostar dos números", diz. Para ela, o jeito de ensinar de quem está lá na frente, diante da turma, faz toda a diferença. "O professor que domina mais a matéria e sabe ensinar divertindo os alunos é mais legal. Sempre tive uma relação boa com todos os professores, mas alguns fazem a diferença", declara. O resultado da mudança está nas notas de Ana Carolina. Até o ano passado, elas quase não ultrapassavam a média. Já este ano, estão alcançado a pontuação máxima. "Eu melhorei muito, e acho que é porque me identifico mais com esse professor. Tenho mais liberdade para tirar as dúvidas com ele e para fazer perguntas quando não sei a matéria", explica. A decoreba também ficou no passado, segundo ela. "Agora eu consigo entender as fórmulas, por exemplo, em vez de só decorar para a prova".

sábado, 18 de setembro de 2010

domingo, 12 de setembro de 2010

Oração do Professor.

Dai-me Senhor, o dom de ensinar,
Dai-me esta graça que vem do amor.
Mas, antes de ensinar, Senhor,
Dai-me o dom de aprender.
Aprender a ensinar
Aprender o amor de ensinar.
Que o meu ensinar seja simples, humano e alegre como o amor.
De aprender sempre.
Que eu persevere mais no aprender do que no ensinar.
Que minha sabedoria ilumine e não apenas brilhe.
Que o meu saber não domine ninguém, mas leve à verdade.
Que meus conhecimentos não produzam orgulho,
Mas cresçam e se abasteçam da humildade.
Que minhas palavras não firam e nem sejam dissimuladas,
Mas animem as faces de quem procura luz.
Que a minha voz nunca assuste,
Mas seja a pregação da esperança.
Que eu aprenda que quem não me entende
Precisa ainda mais de mim,
E que nunca lhe destine a presunção de ser melhor.
Dai-me, Senhor também a sabedoria do desaprender
Para que eu possa trazer o novo, a esperança,
E não ser um perpetuador das desilusões.
Dai-me, Senhor,a sabedoria do aprender
Deixai-me ensinar para distribuir a sabedoria do amor.

quarta-feira, 11 de agosto de 2010

SER PROFESSOR É...

Ser professor é professar a fé e a certeza de
que tudo terá valido a pena se o aluno sentir-se feliz
pelo que aprendeu com você e pelo que ele lhe ensinou...

Ser professor é consumir horas e horas pensando
em cada detalhe daquela aula que, mesmo ocorrendo
todos os dias, a cada dia é única e original...

Ser professor é entrar cansado numa sala de aula e,
diante da reação da turma, transformar o cansaço
numa aventura maravilhosa de ensinar e aprender...

Ser professor é importar-se com o outro numa
dimensão de quem cultiva uma planta muito rara que
necessita de atenção, amor e cuidado.

Ser professor é ter a capacidade de "sair de cena,
sem sair do espetáculo".
Ser professor é apontar caminhos, mas deixar que
o aluno caminhe com seus próprios pés...

sábado, 24 de julho de 2010

Minha sala - atividades e combinados




A arte de Educar.

Educar é uma arte. É algo que vale a pena. As crianças chegam na escola cheias de conhecimentos e prontas a conheceram ainda mais. Elas amadurecem a cada dia e adquirem novos conhecimentos. Eu me sinto ainda encantada em ensinar mesmo com todas as dificuldades que enfrentamos e com a desvalorização dos profissionais de educação. Eu sou feliz, pois sei que minha profissão está contribuindo para um país melhor, com pessoas mais conscientes de seu valor e sua importante participação na sociedade. Meus alunos já estão mais obedientes às regras da sala e aprenderam muitas coisas novas. A turma tem alcançado os objetivos propostos e isso me realiza como profissional.

Festa Junina 2010














quinta-feira, 22 de julho de 2010

Ensaio para o Dia das Mães.

video

Visita a SME Exposição Meu Quintal.










Atividades de incentivo à leitura.






Trabalhamos no 1º Semestre em Linguagem Oral e Escrita Poesias cantadas e Quadrinhas. Para contribuir com o aprendizado fizemos um livro de poesias com os nomes das crianças em parceira com as familias e uma sacola de rimas com as quadrinhas que cada criança levava pra casa para ler com a família, encontrar palavras conhecidas e montar as quadrinhas de acordo com as cores e frases.

Passeio à Guarda Municipal





EMEI Nova Jacareí - Páscoa 04/2010



sexta-feira, 16 de abril de 2010

Recebi esse email e resolvi divulga-lo, pois o considerei muito IMPORTANTE

Esse cidadão dizia "todos os meus heróis morreram de overdose". E era aplaudido.

É... DEVIAM COLOCAR o texto abaixo NUM OUTDOOR LÁ NA PRAÇA
CAZUZA, NO LEBLON...

Psicóloga x Cazuza!

Esta mensagem precisa ser retransmitida para todas as FAMÍLIAS!
Uma psicóloga que escreveu corajosamente algumas verdades.

Uma psicóloga que assistiu ao filme escreveu o seguinte texto: 'Fui ver o filme Cazuza há alguns dias e me deparei com uma coisa estarrecedora... As pessoas estão cultivando ídolos errados...
Como podemos cultivar um ídolo como Cazuza?
Concordo que suas letras são muito tocantes, mas reverenciar um marginal como ele, é, no mínimo, inadmissível.
Marginal, sim, pois Cazuza foi uma pessoa que viveu à margem da sociedade, pelo menos uma sociedade que tentamos construir (ao menos eu) com conceitos de certo e errado.
No filme, vi um rapaz mimado, filhinho de papai que nunca precisou trabalhar para conseguir nada, já tinha tudo nas mãos... A mãe vivia para satisfazer as suas vontades e loucuras. O pai preferiu se afastar das suas responsabilidades e deixou a vida correr solta.
São esses pais que devemos ter como exemplo?
Cazuza só começou a gravar porque o pai era diretor de uma grande gravadora... Existem vários talentos que não são revelados por falta de oportunidade ou por não terem algum conhecido importante.
Cazuza era um traficante, como sua mãe revela no livro, admitiu que ele trouxe drogas da Inglaterra, um verdadeiro criminoso. Concordo com o juiz Siro Darlan quando ele diz que a única diferença entre Cazuza e Fernandinho Beira-Mar é que um nasceu na zona sul e outro não.
Fiquei horrorizada com o culto que fizeram a esse rapaz, principalmente por minha filha adolescente ter visto o filme. Precisei conversar muito para que ela não começasse a pensar que usar drogas, participar de bacanais, beber até cair e outras coisas, fossem certas, já que foi isso que o filme mostrou.
Por que não são feitos filmes de pessoas realmente importantes que tenham algo de bom para essa juventude já tão transviada? Será que ser correto não dá Ibope, não rende bilheteria?
Como ensina o comercial da Fiat, precisamos rever nossos conceitos, só assim teremos um mundo melhor.
Devo lembrar aos pais que a morte de Cazuza foi conseqüência da educação errônea a que foi submetido. Será que Cazuza teria morrido do mesmo jeito se tivesse tido pais que dissessem NÃO quando necessário?
Lembrem-se, dizer NÃO é a prova mais difícil de amor.
Não deixem seus filhos à revelia para que não precisem se arrepender mais tarde. A principal função dos pais é educar... Não se preocupem em ser 'amigo' de seus filhos.
Eduque-os e mais tarde eles verão que você foi à pessoa que mais os amou e foi, é, e sempre será, o seu melhor amigo, pois amigo não diz SIM sempre. '
Karla Christine
Psicóloga Clínica

terça-feira, 13 de abril de 2010

Voltando a sala de aula

Bem, aqui estou eu de volta após tantas mudanças em minha vida. Moro agora em Jacareí, interior de São Paulo, meu marido foi transferido pra cá e eu tive que seguí-lo. Terminei as aulas em Vitória em Julho, entrei de férias e entreguei minha turma com muito ciúme e paixão para uma nova professora e vim viver uma nova vida.
Fiquei 6 meses sem dar aula, até que fui aprovada no processo seletivo da prefeitura de Jacareí e assumi dia 03 de Fevereiro desse ano minha nova turma. É uma turma de Pré 2, com alunos de 4 e 5 anos e está sendo um grande desafio para mim. Tenho 21 alunos (parece que terei 22 a a partir de amanhã, rsrs) mas não é a quantidade de alunos que me assusta, mas sim a indisciplina dos mesmos. Nunca pensei que a diferença fosse ser tão gritante. Sempre dei aulas em escolas particulares e percebo que as crianças da escola pública são bem diferentes. Elas não demonstram interesse em aprender as coisas que lhe são novas, não se concentram nas atividades, não cumprem as regras, são inquietas o tempo todo e estão me deixando de cabelos em pé, rsrs. Minha turma é show, são crianças muito inteligentes, com um grande potencial que eu preciso trabalhar embora a falta de limites tem nos atrapalhado bastante. Volto a falar aqui dos limites que infelizmente estão cada vez mais longe das crianças. Os pais parecem meio perdidos e não conseguem mais educar seus filhos e nós professores agora assumimos também a posição de educadores e temos dupla jornada nas escolas ensinar e educar. Espero atingir meus objetivos com eles, meu ano está apenas começando e minha voz já está cansada. Já possuo algumas fotos de meus "anjinhos" e pretendo em breve postar aqui, mas como ainda tô sem net em casa tá um tantinho complicado. Abraços!!!!! Obrigada a todos pelas visitas e não deixem de postar recadinho para mim e idéias novas por favor.